quinta-feira, 16 de julho de 2009

Falta

Tem dia que o bolo quebra quando ia sair da forma!

Falta sal, açúcar, manteiga...
Ah como eu queria que de repente surgisse um pote cheio atrás de uma couve-flor...

É triste, mas plástico não vira manteiga.

Às vezes parece que essas faltas que dão gosto na vida,
ter tudo não deixa oportunidade pra reclamar de nada, ah.

É por isso que existe o pecado da gula. Gula é ausência de falta.

E como tem gente gulosa por aí!

Tem tanta gula que precisa fingir falta a falta que não tem! (ou será que era dor?)

Falta danada que faz não ter falta!

Dizem que se faltasse para todo mundo, todo mundo teria tudo!

É o mistério da falta.

Mas será que aí não surgiria alguém que não ia querer ter nada por ter tudo?

Outro mistério da falta.

Há quem diga que o homem é tanta falta que é buraco.
É por isso que a gente sente fome.

Mas eu acho que não é buraco não, acho que é poço.

É que ninguém sabe mais tirar água de poço, aí acha que é buraco, mas é poço, eu sei.

De vez em quando eu jogo uma pedra e se fico bem quietinho escuto o barulho da água
lá, lá embaixo.

É o mistério da água do poço do buraco da falta.

Eu já consegui um balde, descobri a falta que era suficiente pra buscar a falta que há lá
no fundo.

Um dia espero chegar na água.

Um comentário:

Sofia disse...

Nossa! realmente muito bem feito. O uso das palavras nos lugares certos e o humor que talvez tenha sido intencional, e que deixou a obra muito livre, parabéns.